Arquivo de etiquetas: Incentivos Governamentais

  • 0

Fundo Ambiental | Aumento da verba

Tags : 

Programa “Edifícios mais Sustentáveis” esgotou verba de 4,5 Milhões de euros

 

Com uma adesão superior ao expectável, até ao momento já foram submetidas 4.234 candidaturas ao Aviso “Edifícios mais Sustentáveis  2020/2021”, o que previsivelmente esgota a verba de 4,5 milhões de euros, a dotação total para estes apoios.  

Atualmente, já foram pagas 890 candidaturas, o que representa um montante de 1,75 milhões de euros.  

O Ministério do Ambiente e da Ação Climática informa que, atendendo ao seu  sucesso, este programa encerrará no final de dezembro de 2020, garantindo,  porém, que todas as candidaturas submetidas até essa data serão apoiadas  através do Fundo Ambiental, sendo efetuado um reforço de verba, se necessário. As candidaturas serão reabertas no início de março de 2021, contando já com montantes provenientes do Plano de Recuperação e Resiliência. As despesas em que tenham incorrido os interessados em concorrer, a partir de 1 de janeiro, serão elegíveis ao abrigo do novo programa, razão pela qual deverão guardar as faturas/recibos relacionadas com essas despesas.

Dados | Fundo Ambiental

  • 0

Fundo Ambiental 2020 / 2021

Tags : 

Governo português disponibiliza 4,5 milhões de euros a fundo perdido para tornar edifícios mais sustentáveis

O Ministério do Ambiente vai apoiar em 4,5 milhões de euros obras que visem tornar os edifícios mais sustentáveis e eficientes. Este programa está disponível a partir do dia 7 de Setembro de 2020 e irá decorrer até ao dia 31 de Dezembro de 2021.

Este programa está incluído no Fundo Ambiental e funciona de forma semelhante aos que comparticipam a compra de carros ou outros veículos elétricos, por exemplo.Segundo o ministro João Matos Fernandes, “aquilo que nós estamos a fazer é apoiar em 70% e com limites, item a item, um conjunto de tipologias de projeto que são fundamentais para tornar as nossas casas mais eficientes do ponto de vista energético e não só”, começou por dizer, antes de passar a enumerar algumas das alterações domésticas a que os apoios se vão aplicar. “Estou a falar de janelas mais eficientes — janelas duplas com corte térmico —; estou a falar de isolamento térmico, interior ou exterior, nas próprias habitações; estou a falar da aquisição de equipamentos de aquecimento e arrefecimento das águas sanitárias; estou a falar da instalação de painéis fotovoltaicos para a produção de energia a partir de fontes renováveis.”

Tal como acontece no programa de apoio à aquisição de veículos elétricos, os incentivos irão ser atribuídos por ordem de submissão de candidaturas e a posteriori: é preciso fazer primeiro as obras e só depois, com a fatura, em que devem ser discriminados “os investimentos com o objetivo da eficiência energética”, é que o pedido pode finalmente ser formalizado, “com mais um conjunto de provas, como sejam provas fotográficas, e sempre sujeitando-se a uma eventual inspeção”.

*Artigo retirado parcialmente do website observador.pt

Para mais informações, clique aqui ou entre em contacto connosco através do 255 539 990 ou pelo email monteiros@monteiros.pt. Também pode visitar a página do Fundo Ambiental.